Imprimir o textoImprimir o texto

Política cultural externa

A política cultural e educacional externa é, ao lado da diplomacia clássica e da política econômica exterior, o terceiro pilar da política exterior alemã. Seu objetivo é transmitir uma imagem atualizada da Alemanha, e contribuir para o processo de integração européia e o entendimento entre as diferentes cuIturas. O MRE aplica, só parcialmente, a sua política cultural, encarregando organizações mediadoras, como o Instituto Goethe ou o Instituto de Relações Internacionais (ifa). O GI dispõe de 147 dependências em 83 países, 13 delas na Alemanha. Faz parte de suas tarefas o ensino da língua alemã, o incentivo ao aperfeiçoamento dos professores estrangeiros de alemão, a realização de leituras de autores, apresentações de teatro e cinema, bem como debates. O ifa dedica-se sobretudo ao diálogo das culturas. Desde 2003, centros culturais, principalmente no Centro e Leste Europeus, estão sendo financiados pelo MRE e fundações sem fins lucrativos. As escolas alemãs no exterior têm um significado especial. Há 117 escolas desse tipo, com 70 mil alunos (53 mil estrangeiros). Com a iniciativa “Escolas: Parceiros do Futuro”, o MRE fomenta o trabalho escolar no exterior. Uma de suas metas é criar uma rede de escolas parceiras que priorizem o ensino do alemão como língua estrangeira. Após os atentados terroristas de 11 de setembro, o MRE iniciou um programa especial para o “Diálogo Cultural Islâmico Europeu”, visando a melhorar o entendimento mútuo entre as duas religiões.

 

 

 

 www.goethe.de,  www.daad.de,  www.avh.de,  www.auslandsschulwesen.de,  www.ifa.de