Skip to main content
Economia & Inovação

Mercado de trabalho atraente

Graças à jornada de trabalho reduzida durante a crise do coronavírus, o mercado de trabalho alemão permaneceu estável e oferece atraentes chances de carreira para a mão de obra especializada internacional.
Attraktiver Arbeitsmarkt
Gorodenkoff/stock.adobe.com

O mercado de trabalho na Alemanha estava, no início de 2020, perto da ocupação plena. No primeiro trimestre de 2020, havia 45 milhões de pessoas ativas, tantas como nunca antes. Mas em junho de 2020, durante a crise do coronavírus, o número de desempregados aumentou em relação ao mesmo mês do ano anterior em 637 mil, atingindo um total de 2,8 milhões. O número de empregados em regime de jornada reduzida subiu para mais de 6,8 milhões (em abril). Enquanto puder ser evitada uma segunda onda de infecções, os economistas partem do pressuposto de um desenvolvimento positivo do desempenho econômico e, assim, de uma recuperação rápida do mercado de trabalho. O instrumento da jornada reduzida já se mostrou eficiente durante a crise econômica e financeira de 2008/2009. Ele possibilita às empresas, no caso de uma considerável redução da demanda, deslocar seus funcionários temporariamente para a jornada reduzida de trabalho, subvencionada pelos cofres públicos. Com isso, são evitadas as demissões e é facilitado o retorno à produção plena.

O governo federal adotou diversas medidas de política trabalhista para criar um mercado de trabalho moderno, justo e transparente. Desde o início de 2015 está em vigor o salário mínimo. A cota de mulheres deve igualar o número de homens e mulheres em posições de chefia. Empresas cotadas na bolsa de valores e sujeitas à cogestão devem destinar às mulheres 30% de todos os cargos em seus conselhos fiscais desde 2016. A Lei de Igualdade Tarifária garante que não haja na mesma empresa contratos com tarifas diferentes para a mesma atividade. E, desde 1º julho de 2014, segurados de longo prazo que tenham mais de 45 anos de contribuição aos fundos públicos de aposentadoria podem se aposentar a partir de 63 anos sem corte na remuneração mensal.

Atraentes chances de carreira para peritos internacionais

Diante da transição demográfica, a garantia de mão de obra especializada também é uma das tarefas mais urgentes do governo federal.

Para este fim, foi preparada a Lei de Imigração da Mão de Obra Especializada, que está em vigor desde 1º de março de 2020. Ela permite que trabalhadores qualificados de países não pertencentes à UE tenham acesso mais fácil ao mercado de trabalho alemão. Isto se tornou necessário porque cada vez mais empresas não conseguiam preencher mesmo vagas bem remuneradas e com excelentes perspectivas de desenvolvimento – de artesãos a engenheiros. Até agora, somente profissionais qualificados com formação acadêmica tinham acesso irrestrito ao mercado de trabalho. Isto agora também se aplica também a trabalhadores qualificados com qualificações profissionais adquiridas no exterior. O pré-requisito para isto é o reconhecimento da qualificação por uma autoridade competente da Alemanha.

Se sua subsistência estiver assegurada e seus conhecimentos da língua alemã forem suficientes para o trabalho que estão procurando, os trabalhadores qualificados podem entrar no país para procurar um emprego. Eles recebem uma autorização de residência e podem trabalhar até dez horas por semana durante um período experimental.

Um regulamento semelhante se aplica agora também aos candidatos a uma vaga de formação profissional. Anteriormente, apenas os interessados em estudos universitários tinham a oportunidade de entrar no país para procurar uma vaga de estudos. Agora, os interessados em formação profissional também podem fazê-lo. Os pré-requisitos são conhecimento de alemão, um diploma de escola alemã no exterior ou um certificado de conclusão de estudos que dê direito a entrar numa universidade, uma idade máxima de 25 anos e recursos independentes para garantir a própria subsistência.