Abertos a outras religiões

Hamburgo segue um modelo próprio no ensino de religião. Lá os alunos das mais diversas confissões religiosas têm aulas de religião juntos no grupo“Aula de religião para todos”
Hamburgo segue um modelo próprio no ensino de religião. Lá os alunos das mais diversas confissões religiosas têm aulas de religião juntos no grupo“Aula de religião para todos” dpa/Frank Rumpenhorst
Na Alemanha convivem muitas pessoas de diversas comunidades religiosas. Muitas não pertecem a uma confissão.

Na Alemanha existe liberdade de opinião e crença. É um dos pontos centrais dos direitos fundamentais e humanos. A liberdade de crença é garantida na Lei Fundamental em seu artigo 4: “A liberdade de crença, de consciência e a liberdade de confissão religiosa e ideológica são invioláveis. É assegurado o livre exercício da religião.” Ninguém pode ser portanto discriminado em função de sua crença religiosa. Não existe uma Igreja do Estado, há separação entre política e religião, que é algo privado. Na Alemanha convivem pessoas das mais diversas comunidades religiosas com tolerância. A  imigração torna o cenário religioso mais diversificado. 47 milhões de pessoas pertencem a uma confissão cristã, sendo 24 milhões católicas e cerca de 23 milhões evangélicas. Outro terço não pertence a nenhuma religião. Muitas deixaram oficialmente a igreja. Isso é possível na Alemanha, assim que se complete 18 anos. A maioria das pessoas no antigo território da RDA não tem confissão religiosa. Fazem parte das grandes comunidades religiosas 4 a 5 milhões de mulçumanos, 200 mil judeus e ortodoxos e membros de igrejas evangélicas livres. No cotidiano pouco importa a religião que você professa. As escolas públicas têm que oferecer aula de religião. Em alguns estados há aula de religião islâmica.

Related content