Mercado de trabalho atraente

Formação profissional dual: o modelo alemão, que combina teoria e prática, está sendo adotado em muitos países
Formação profissional dual: o modelo alemão, que combina teoria e prática, está sendo adotado em muitos países Ute Grabowsky/Photothek via Getty Images
O mercado de trabalho alemão tem uma alta taxa de ocupação e um baixo nível de desemprego. A formação profissional dual é um sucesso de exportação.

O mercado de trabalho na Alemanha teve desde 2008 um desenvolvimento favorável, apesar da crise econômica e financeira. 42,8 milhões de pessoas registradas na seguridade social estavam empregadas no país em julho de 2015. A alta taxa de emprego de mais de 73,5% é, apesar dos fracos impulsos da economia mundial, expressão da boa situação econômica. A Alemanha é um dos países da UE com a menor taxa de desemprego. Em 2014 ela se manteve em média em torno de 6,7%, o nível mais baixo desde 1991. Especialmente o crescimento do setor de serviços teve uma influência positiva no mercado de trabalho. Uma pesquisa do Instituto de Pesquisa de Emprego e Formação (IAB em alemão) prevê a continuação da forte expansão do setor terciário nos próximos anos, rumo a uma sociedade de prestação de serviços. O aumento de contratos em regime de tempo parcial, mais conhecidos por trabalho em part-time, também é típico do desenvolvimento do mercado de trabalho.

picture alliance/dpa

O baixo índice de desemprego entre os jovens chamou a atenção internacional para o sucesso da formação prossional dual, que difere da pura formação escolar oferecida na maioria de outros países para o ingresso na profissão. Cerca da metade dos jovens na Alemanha aprende após a escola uma das 350 profissões reconhecidas oficialmente no sistema de formação dual. A parte prática é absolvida em dois ou três dias por semana em uma empresa. E a parte teórica específica é ensinada em um ou dois dias na escola profissionalizante. Muitos países estão adotando agora o sistema dual de formação profissional.

O governo federal adotou diversas medidas de política trabalhista para criar um mercado de trabalho moderno, justo e transparente. Desde o início de 2015 está em vigor o salário mínimo de 8,50 euros, que beneficiou inicialmente 3,7 milhões de pessoas. A cota de mulheres deve igualar o número de homens e mulheres em posições de chefia. Empresas que cotam na bolsa de valores e são sujeitas à cogestão devem destinar às mulheres 30% de todos os cargos em seus conselhos fiscais a partir de 2016. A Lei de Igualdade Tarifária ­garante que não haja na mesma empresa contratos com tarifas diferentes para a mesma atividade. E, desde 1º julho de 2014, segurados de longo prazo que tenham mais de 45 anos de contribuição aos fundos públicos de aposentadoria podem se aposentar a partir de 63 anos sem corte na remuneração mensal.

Diante da transição demográfica, a garantia de mão de obra especializada é uma das ­tarefas mais urgentes. Um dos projetos principais de abertura do mercado de trabalho é Make it in Germany, um portal para mão de obra qualificada internacional com informações sobre oportunidades de carreira em vários idiomas e vagas de emprego nas profissões com carência de mão de obra (setores de saúde, engenharia e TI). Jovens com diploma universitário e profissionais qualificados recebem o Cartão Azul da União Europeia e facilidades no acesso ao mercado de trabalho alemão.

Related content