Skip to main content
Sociedade

Diversidade enriquecedora

A Alemanha é caracterizada pelo pluralismo dos estilos de vida. A transição demográfica terá um papel importante nos próximos anos.
Familie am Strand
© Getty Images

Com 83,1 milhões de habitantes, a Alemanha é a nação mais populosa da União Europeia. O país moderno, cosmopolita se transformou em um relevante país de imigração.

 

A maioria das pessoas na Alemanha tem, na comparação internacional, um elevado padrão de vida e a liberdade equivalente para levar uma vida própria. No Índice de Desenvolvimento Humano 2016 das Nações Unidas a Alemanha ocupou o 4º lugar entre 189 países. No índice Nation Brands 2019, uma enquete internacional sobre a imagem de 50 países, a Alemanha ficou em primeiro lugar pela terceira vez consecutiva, também em consideração às boas notas nos itens qualidade de vida e justiça social. A Alemanha se considera um Estado social, que tem como tarefa primordial proporcionar garantia social a todos os seus cidadãos.

Com a aposentadoria aos 63 anos, a pensão para as mães e com a nova aposentadoria básica, que entra em vigor em 2021, a rede de amparo social foi ampliada ainda mais.

População com origem migratória em 2018 (milhões)

Fonte: Destatis

Sociedade aberta

A sociedade alemã é caracterizada pelo pluralismo de estilos de vida e pela diversidade etnocultural. Os papeis tradicionais entre homens e mulheres foram eliminados. Através das medidas de inclusão, as pessoas com deficiência têm maior participação na vida social.

Novas formas e novas realidades de vida transformam o cotidiano da sociedade. As legislações dos últimos anos garantem a abertura e a aceitação social dos estilos alternativos de vida e das diversas orientações sexuais. Disso faz parte a instituição do “casamento para todos”, que dá emancipação jurídica aos pares homossexuais. Desde o final de 2018, as certidões alemãs de nascimento possibilitam registrar, além dos sexos masculino ou feminino, também a opção diverso. Isso visa a emancipação de pessoas intersexuais.

Imigração líquida segundo 
a região de origem 2018

Fonte: BAMF

Chances para a mão de obra especializada

Mais de 20,8 milhões de pessoas na Alemanha têm um histórico de migração. A Alemanha está entre os países com regras liberais de imigração. A fim de facilitar especialmente a imigração de mão de obra qualificada de países de fora da UE, entrou em vigor em março de 2020 a Lei de Imigração de Profissionais Especializados. A Alemanha depende da imigração, pois quase nenhum outro desenvolvimento irá marcar tanto o país no futuro como a transição demográfica: a taxa de natalidade aumentou um pouco recentemente, mas segue sendo relativamente baixa, com cerca de 1,6 filho por mulher. Ao mesmo tempo, aumenta a expectativa de vida, atualmente em torno de 81 anos. Até 2060, o número de habitantes da Alemanha baixará para até 67,6 milhões de pessoas, dependendo da quantidade de imigrantes, segundo o Departamento Federal de Estatística. O aumento da porcentagem de idosos é um dos maiores desafios para os sistemas de seguridade social.

As transformações socioeconomicas dos últimos anos fizeram surgir na Alemanha novos riscos sociais, levando a uma maior estratização da sociedade de acordo com a situação econômica de vida. Em 2019, o número de desempregados era tão baixo como em 1991, uma média de 2,3 milhões. Mas ao mesmo tempo, uma em cada cinco pessoas vive no limite da pobreza, especialmente jovens, aposentadas e aposentados, além de famílias monoparentais. Continuam existindo diferenças sociais entre o Leste e o Oeste do país.

Com o fluxo de refugiados, que atingiu seu auge no ano de 2015, a política de refugiados do governo federal é tida como um tema controverso. Cerca de 1,8 milhão de pessoas fizeram requerimento de asilo político na Alemanha, de 2015 até 2019, muitas delas buscam proteção contra conflitos bélicos e perseguição.