Skip to main content
Cultura & mídia

Nação cultural pulsante

O prestígio da Alemanha como grande nação cultural se baseia em nomes famosos, pulsante cenário artístico e diversidade cosmopolita.
Ben Becker Theaterschauspieler
© picture alliance / Geisler-Fotopress

A Alemanha considera-se uma das grandes nações culturais europeias. Uma característica especial do cenário cultural é o marcante federalismo, que levou a uma diversidade excepcional das produções culturais e seus patrocinadores. Ressaltar a tradição federalista do país foi importante também para os autores e autoras da Lei Fundamental. A República Federal da Alemanha, fundada em 1949, manteve também após a reunificação em 1990 conscientemente a tradição federal e deixou a soberania cultural a cargo dos ­estados. Resultado da estrutura da Alemanha, formada por muitos antigos pequenos e médios estados e cidades livres, é entre outras coisas a existência de cerca de 142 teatros municipais e estaduais, bem como 130 orquestras profissionais, em parte ligadas às emissoras públicas de radiodifusão. Um cenário museológico ímpar é formado, além disso, por mais de 7.200 museus e galerias.

Crescimento constante: empresas do setor da economia cultural e criativa

Fonte: BMWi

De Bach até Bauhaus

O prestígio da Alemanha como importante nação cultural se baseia nos grandes nomes do passado, como Bach, Beethoven e Brahms na música, Goethe, Schiller e Thomas Mann na literatura. Com o movimento Bauhaus logrou-se desenvolver, na década de 1920, uma linguagem morfológica marcante e criadora de estilo, que repercute ainda hoje em todo o mundo. Também destacadas posições em todos os gêneros artísticos da atualidade estão ocupadas por nomes importantes, principalmente na pintura por artistas como Gerhard Richter, Georg Baselitz, Anselm Kiefer e Rosemarie Trockel, bem como Andreas Gursky, Wolfgang Tillmanns e Candida Höfer, na fotografia.

A produção cultural, a partir das próprias tradições, abriu-se de maneira crescente às influências de fora e desenvolveu uma nova narrativa. Jovens artistas de origem migratória encontraram formas de se articular, reagindo musical mas também poeticamente ao embate e à fusão de culturas de diferentes proveniências. Como exemplo da arte pós-migratória pode-se citar o trabalho no Teatro Maxim Gorki em Berlim, mas também grande parte da cultura musical e da produção literária contemporâneas.

Valor adicionado bruto na comparação de setores, 2018, em bilhões de euros

Fonte: BMWi

Eventos internacionais

Dos mais importantes eventos culturais na Alemanha fazem parte o Festival de Cinema de Berlim (Berlinale), a Feira Internacional do Livro de Frankfurt, o Festival de Bayreuth, o Encontro Teatral de Berlim, o festival Rock am Ring e a Trienal do Ruhr.

Na Alemanha, existem 46 monumentos sob a proteção da Unesco – na Europa, somente a Itália possui mais patrimônios culturais da humanidade. O Fórum Humboldt – erigido em Berlim no âmbito da reconstrução do antigo palácio urbano Stadtschloss – será um novo centro cultural. Caracterizado pela visão cosmopolita, ele propiciará o intercâmbio científico internacional e o diálogo entre as culturas.

Em 159 representações em 98 países, o Instituto Goethe assegura em todo o mundo o acesso à língua e à cultura alemãs.