Skip to main content
Política Externa

Fomentar o desenvolvimento sustentável

O desenvolvimento sustentável de todos os Estados é a base para um futuro pacífico. O governo alemão se comprometeu com este objetivo.
Nachhaltige Entwicklung
Getty Images/E+

A política de desenvolvimento alemã, como elemento de uma política estrutural e de paz global, contribui para melhorar as condições de vida nos países parceiros. O objetivo da política alemã de desenvolvimento é superar a fome e a pobreza em todo o mundo e fortalecer a democracia e o Estado de direito.

Conceito de reforma “BMZ 2030”

Com o programa “BMZ 2030”, o Ministério Federal Alemão de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) reformou a cooperação oficial para o desenvolvimento, a fim de torná-la mais eficaz e eficiente. O objetivo mais importante continua sendo a superação da fome e da pobreza no mundo.

Entre outras coisas, a cooperação estatal está ligada à boa governança, ao respeito aos direitos humanos e à luta contra a corrupção. Tematicamente, o “BMZ 2030” estabelece novas prioridades em proteção climática, saúde e política familiar, cadeias de abastecimento sustentáveis, uso da digitalização e fortalecimento dos investimentos privados.

O conceito prevê novas categorias de parceria para permitir uma resposta mais estratégica e flexível na cooperação. Alguns países não precisam mais de apoio direto, outros mostram pouca vontade de reformar. Por esta razão, o número de países parceiros com os quais a Alemanha coopera diretamente através do governo foi reduzido de 85 para 60. No entanto, a cooperação com os atores da sociedade civil continua em todos os países.

Em 2019, a Alemanha por pouco não logrou alcançar a meta visada pela ONU de investir 0,7 % do PIB na cooperação desenvolvimentista, chegando apenas a 0,6 % do PIB. Com a contribuição anual de 23,81 bilhões de dólares, o ­país ocupou também no ano de 2019 o segundo lugar entre os doadores mundiais para a cooperação pública ao desenvolvimento, depois dos EUA. Os projetos são supervi­sionados por organizações executoras, geralmente a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) e o grupo bancário KfW, mas também por outras organizações.

A Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável

Determinante para o desenvolvimento global nos próximos anos é a Agenda 2030, aprovada pela Assembleia Geral da ONU em 2015. Os pontos centrais da Agenda 2030 são 17 ambiciosas metas de desenvolvimento sustentável, chamados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Com a implementação global da Agenda, pode ser criada a base para configurar o progresso econômico mundial em harmonia com a justiça social e no âmbito dos limites ecológicos da Terra.

De acordo com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU (ODM) de 2000 a 2015, já foi possível reduzir à metade a pobreza no mundo inteiro e melhorar o acesso à água potável e à educação, entre outras coisas. O principal objetivo de erradicar a pobreza extrema até 2030 parece, portanto, realizável. Entretanto, problemas como o consumo excessivo de recursos, a progressiva mudança climática e a destruição ambiental, o alto desemprego e as desigualdades sociais continuam prementes.

Além da luta contra a fome e a pobreza, o planeta deve ser protegido como base de vida para as gerações futuras; os sistemas econômicos e estilos de vida devem se tornar mais justos, mais sustentáveis e mais eficazes; a discriminação deve ser combatida. Finalmente, o compromisso do futuro para uma proteção sustentável exige a ação de múltiplos setores: além dos governos, de grupos sociais, empresas e do setor científico, que desempenham papéis importantes na implementação da Agenda 2030.