Skip to main content

Pluralismo de formas de vida

Novas formas de convívio caracterizam a sociedade alemã. Há um fomento especial da compatibilidade entre profissão e família.
Familie
© Kanea/stock.adobe.com

A família continua tendo um significado central no século 21, mesmo num mundo altamente individualizado e marcado por grande mobilidade. Segundo um estudo de 2019 do Instituto Allensbach de Pesquisa de Opinião Pública, mais de três quartos da população (77%) atribuem o primeiro lugar em suas vidas à família. Ao mesmo tempo, a concepção de como uma família normalmente deve ser está mudando cada vez mais. Apenas pouco menos da metade das pessoas na Alemanha ainda vive em família. Apesar da tendência de queda das estruturas familiares tradicionais, os casais com filhos menores de idade eram o tipo de família mais comum em 2019, com pouco menos de 70%. O número de casamentos voltou a aumentar um pouco ultimamente, em 2019 foram pouco mais de 416 mil. Devido à pandemia do coronavírus, os números caíram significativamente no primeiro semestre de 2020.

O divórcio acontece em mais de um em cada três casamentos. A duração média dos casamentos divorciados, em 2019, era de pouco menos de 15 anos. Pouco mais de 50 mil foi o número de casamentos entre alemães e estrangeiros em 2019.

Mais parcerias não conjugais com filhos

O número de casais em parcerias não conjugais com filhos está aumentando significativamente. Entre 1999 e 2019, dobrou a sua participação nas atuais 8,2 milhões de famílias com filhos menores; mais de um décimo das uniões com filhos não é legalizada. As famílias monoparentais também são um tipo de família em crescimento: as mães ou pais solteiros compõem agora quase um quinto de todas as constelações de pais e filhos. Em quase nove em cada dez famílias monoparentais, no total de 1,5 milhão, as mulheres são responsáveis pela educação dos filhos. Esse tipo de família está frequentemente exposta a consideráveis riscos de pobreza; cerca de 38% delas recebem ajuda financeira do Estado.

Entre as formas de vida que ganham em importância estão as parcerias entre pessoas do mesmo sexo. Em 2019, 142 mil casais homossexuais viviam juntos na Alemanha – mais da metade a mais que dez anos antes. Cerca de 34 mil deles vivem numa parceria registrada, o que tem permitido que casais do mesmo sexo garantam legalmente seu relacionamento desde 2001. Em 2017, o Parlamento Federal aprovou o chamado “casamento para todos”. Os casais homossexuais têm agora o direito a um casamento integral e assim, por exemplo, também o direito de adotar filhos. Hoje existem cerca de 52 mil pares do mesmo sexo, casados oficialmente.

Enquanto surgem novas formas de convivência, cresce também o número de domicílios unipessoais:  42% dos domicílios são de pessoas que vivem sozinhas. Esse desenvolvimento é consequência da transição demográfica, que leva a um aumento do número de pessoas idosas vivendo sozinhas, mas também cada vez mais jovens estão vivendo como solteiros.