Skip to main content
Meio ambiente & Clima

Impulsionadora das cooperações sobre o clima

A Alemanha tem um papel ativo na política internacional do clima e empenha-se em projetos internacionais de cooperação na área ambiental
Impulsgeber für Klimakooperationen
© dpa

A Alemanha contribui significativamente para que a proteção do clima ocupe um lugar de destaque na agenda internacional. O governo federal foi um dos impulsionadores da conferência do clima de 1992 no Rio de Janeiro e do Protocolo de Kyoto em 1997. O grande avanço só foi logrado, porém, com o Acordo do Clima de Paris em 2015, quando 195 países assinaram pela primeira vez um acordo geral, juridicamente vinculativo e mundial de proteção ao clima. A meta é deter o aumento mundial da temperatura média, limitando-o possivelmente a 1,5 grau centígrado. A fim de lograr esse objetivo, os países comprometeram-se a reduzir suas emissões de gases do efeito estufa ou a mantê-las baixas. Para isso, eles estabeleceram metas nacionais, que deverão ser verificadas regularmente. Como isso deverá ocorrer foi o tema da Conferência Mundial do Clima de 2017 em Bonn.

Plano de Proteção Climática 2050 como uma estratégia de longo prazo

Como um dos primeiros signatários da Convenção Climática de Paris, o governo alemão adotou uma estratégia de longo prazo já em 2016: o Plano de Proteção Climática 2050. Desde então, a Alemanha já alcançou muito na proteção climática: em 2018, cerca de 35% de sua eletricidade provinha de energias renováveis, como a eólica e a solar. Com o Programa de Proteção Climática 2030 e seu elemento central, a Lei de Proteção Climática, o governo alemão também visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 55% até 2030.

A União Europeia (UE) está à frente dos esforços internacionais por um acordo mundial de proteção do clima. Ela visa uma redução das emissões em pelo menos 40 % até 2030. O principal instrumento para alcançar esta meta é o comércio europeu de cotas de emissão de dióxido de carbono, que regula as emissões de 11 mil grandes indústrias e empresas de abastecimento energético. Ele foi reformado em 2018 para aumentar sua eficácia.

Pacto Ecológico Europeu

A Alemanha também apoia a Comissão Europeia em seu “European Green Deal”. Ele prevê que a UE seja neutra em relação ao clima até 2050. Com uma lei europeia de proteção do clima, a meta deverá tornar-se obrigatória. Para conseguir isso, as emissões de CO2 devem ser significativamente reduzidas em todos os setores econômicos relevantes. Esse Pacto Ecológico Europeu inclui um roteiro com medidas para promover um uso mais eficiente dos recursos através da transição para uma economia limpa e verde, a fim de restaurar a biodiversidade e combater a poluição.

A Alemanha desenvolve ainda ativamente projetos de cooperação ambiental com outros países e apoia, por exemplo, os países parceiros no âmbito da parceria NDC (Nationally Determined Contributions), criada em 2016, a fim de que possam cumprir as suas metas nacionais de proteção do clima. Estas NDCs constituem o cerne do Acordo do Clima de Paris.

O papel precursor da Alemanha é apoiado por exemplo pelo Instituto Potsdam para Pesquisa do Impacto Climático e pelo Instituto Wupper­tal de Clima, Meio Ambiente e Energia.